ESCOLHA ALGUÉM PELA RAZÃO E NÃO PELO SENTIMENTO

  • Nossa! Como ela(e) é linda, doce, amável, divertida(o) e carinhosa(o)!
  • Que pessoa maravilhosa de se ter do lado!
  • É com este alguém que quero passar o resto dos meus dias!
  • Quanto prazer eu sinto quando estou com ele(a)!
  • Ao lado dessa pessoa eu esqueço todos os problemas!
  • Etc, etc, etc..

E tudo isso foi dito apenas 1 semana depois de conhecer a pessoa.
O grande motivo porque você sempre erra quando escolhe alguém para se relacionar, é porque suas decisões são burras! E sabe por que são burras? Porque você não escolheu com base no que você conhece da pessoa (razão), mas sim com base em como esta pessoa fez você se sentir (sentimento).
Um relacionamento não dá certo se estiver baseado no sentimento. É lógico que o sentimento deve existir, mas ele por si só não é suficiente para decretar se o relacionamento vai dar certo. Aliás, o sentimento é o que menos se deve olhar na hora de escolher alguém.
Quando você faz sua escolha com base no sentimento, você quebra sua cara!

Como se escolhe pelo sentimento?


  • Quando você age por impulso, sem conhecer a pessoa direito;
  • Quando você escolhe baseado no que esta pessoa faz você sentir a curto prazo, esquecendo-se do longo prazo;
  • Quando você não procura saber da vida dela, apenas aceita que ela é aquilo que ela demonstrou ser, sendo que sempre que conhecemos alguém mostramos o nosso melhor e escondemos os nossos defeitos, por isso você precisa sempre de algum tempo até conhecer a pessoa direito e então se decidir se segue em frente ou não!
  • Quando você se entrega sexualmente logo de cara;
  • Quando você perde sua capacidade de raciocínio por causa do que sente por este alguém;
  • Etc, etc, etc;
Sempre que você fizer suas escolhas movido(a) por cunho sentimental, você vai sofrer!
É necessário um tempo maior! Você não faz ideia de quantos podres aquela pessoa pode ter, você não pensa nisso.
VOCÊ SÓ PENSA NO AGORA, NO MOMENTO, NO IMEDIATO!
Sabe o que vai acontecer enquanto você pensar assim? Simples: Num primeiro momento você vai ser a pessoa mais feliz do mundo; você vai passar por coisas incríveis e sua emoção estará a flor da pele curtindo uma adrenalina tão maravilhosa que o sentimento de prazer será indescritível e você vai confundir isso como sendofelicidade, mas isso é pura sensação de bem estar causada pelo prazer dos seus hormônios a flor da pele.
Quando o tempo se passar, mais ou menos 1 ou 2 meses depois (talvez bem menos), você vai se tocar que aquilo não existe mais. E sabe o porquê?
PORQUE VOCÊ COMEÇOU A CONHECER A PESSOA.
E a maioria  das vezes você vai notar que aquele alguém não era nada daquilo que você pensava que era. É neste momento que começam os conflitos, as brigas e a dificuldade de dar continuidade ao relacionamento, pois os dois parecem que vivem em pé de guerra ou numa incompatibilidade sem limites.
Você não consegue olhar para aquela pessoa e se ver feliz ao longo prazo. O tempo de curto prazer já passou e como aquela pessoa não tinha felicidade verdadeira para lhe oferecer (e nem você a ela), a relação começa a definhar.
O problema é que você pulou as etapas. O certo seria você conhecer a pessoa, saber mais sobre ela e então decidir se queria ou não se envolver sentimentalmente. Mas o que você fez foi exatamente o contrário: Você se envolveu sentimentalmente antes de conhecer quem de fato aquele alguém era. E toda vez que você fizer isso, é sofrimento na certa.
Com a inversão dos passos a coisa fica bagunçada e tudo que é bagunçado não tem futuro.
Por isso não podemos jamais escolher alguém pelo sentimento, ou seja, pelo que esta pessoa te faz sentir, pois escolher alguém assim é ter “felicidade” a curto prazo.
Quer ser feliz a longo prazo? Então aprenda a conhecer bem a pessoa antes de entrar em uma relação.