Padre Fábio de Melo fala sobre a importância do perdão

Atitude divina
“Só o perdão é capaz de nos devolver a paz. E, também, quando nós perdoamos, tiramos o peso do outro, porque é ruim alguém se sentir culpado pelo que fez, ele precisa se sentir responsabilizado, mas não culpado — porque são dois termos diferentes, que até causam confusão. Ser responsável por um ato tudo bem, agora carregar o fardo daquilo o resto da vida e nunca mais se permitir voltar à alegria, já é uma culpa doentia. Isso nós não podemos ter e não podemos permitir que o outro sinta. (…) Uma coisa é certa, o perdão precisa acontecer, senão não vamos ter condições de prosseguir, porque o perdão é sempre libertador de caminhos, ele retira aquele empecilho — a mágoa é sempre um empecilho, uma pedra no nosso caminho.”


Súplica pelo perdão
“Senhor, o momento em que me encontro é o mais difícil de minha vida. Ajoelhado aos vossos pés estou para implorar a divina graça do perdão. Ensina-me a perdoar aquelas pessoas que vivem na obscuridade e que só me fazem o mal. Que eu não tenha pensamentos ruins em relação a elas, mas infunda em mim um sentimento de amor e caridade para mostrar a elas que só a misericórdia de Deus tem fundamento nesta vida. Mais que isso, para que possa perdoar os outros, eu necessito da graça de também me perdoar das faltas que eu cometo contra mim. No vosso sagrado coração eu coloco todas as aflições e todo o rancor que eu tenho contra quem me faz o mal. Só tu, Senhor, sabes retirar o fardo que está em meus ombros. Que eu seja sinal de graça e perdão para todas as pessoas e que sempre viva praticando em mim e no próximo o mandamento do amor fraterno. Amém.”
Texto e pesquisa: Mayara Crepaldi/Colaboradora