SER TIA É AMAR UMA PESSOINHA QUE NÃO É NOSSA, MAS A QUEM NÓS PERTENCEMOS


A maioria das pessoas dizem que ser tia é das melhores coisas do mundo, e que só tem coisas boas nisso. Eu só tenho que concordar, pois desde que comecei a ser tia a minha vida mudou completamente, passei a dar mais importância e valor a coisas, gestos e momentos, passei a querer dar sempre o meu melhor para eles e com eles, ser tia é a eterna tentativa de ser absolutamente tudo para alguém.
Ser tia, é ganhar o maior presente do teu irmão ou da tua irmã, aquele a quem demos “cabo da cabeça e paciência” a vida inteira, e só ter que amar aquele serzinho mais e mais todos os dias, ser tia faz pensar como é ser mãe, só que sem tanta pressão e responsabilidade.
Ser tia é rir do teu irmão ou irmã quando eles estão ainda sem jeito de pegar e carregar aquele bocadinho de gente, e pensar que: “não deve ser tão difícil assim”. Até que chega o momento de sermos nós a pegar nele ao colo, de o segurar nos nossos braços e percebemos que temos o mundo no nas nossas mãos braços, e trememos, tentando disfarçar a falta de experiência.
Ser tia é voltar a imaginar, acreditar, e sonhar, é estragar com mimos e presentes, é poder ouvir a palavra “tia” e sentir –se sempre um bocadinho melhor, é perder definitivamente todas as armas e armaduras quando se ouve pela primeira vez a palavra “tia”. É não resistir dar colo, abraços, mimos e beijinhos. Ser tia é aproveitar breves períodos de tempo e companhia e transforma-los em eternos momentos de lembranças. Ser tia é preocuparmo-nos com os outros como se fossem nossos filhos mas saber que têm mães e pais que olham por eles, e que são eles que têm a parte mais chata.
Ser tia é ficar longe por 15 dias e ter a sensação de que eles já começaram a falar outra língua, e que já estão mais crescidos que nunca, é com eles que vemos e aprendemos que o tempo passa tudo muito rápido e que não o podemos controlar, ser tia é aprender a lidar com carinho quando alguém não nos quer dar um beijinho, é definitivamente o melhor tesouro que a vida nos deu. É fazer parte de histórias e procurar estar sempre por perto quando eles precisam. É descobrir-se alguém melhor sempre que lembra que é tia de alguém tão especial.
E também trocar as piores fraldas sem ter nojo e nenhum problema com isso, é brincar com o amigo imaginário, e ter de ficar a noite toda sem dormir, só para velar o sono de quem mais se ama. As tias podem amar do mesmo jeito que as mães, deixar guardados os segredos como uma irmã, dar amizade e carinho como uma amiga, e amar esse pequenos seres como se fossem seus.
Não há como falar muito no papel de uma tia dentro de uma família, pois cada uma delas ocupa um lugar diferente e especial. Elas só pensam em amar e a agradar, e sempre que têm uma oportunidade também querem beijar e abraçar. É tão grande o amor, que mal pode ser deixado em palavras.
Ser tia, resumindo, é amar uma pessoinha que não é nossa, mas a quem nós pertencemos, é acompanhar a vida de quem vive outras histórias e que faz parte da sua. É algo maravilhoso, é decididamente apaixonante e fascinante.
Eu amo ser tia!
FONTECoffee Break
TEXTO DEPatrícia Lemos