10 tipos de homem que não merecem se casar com você


J. Lee Grady começa o texto informando que criou quatro filhas, três das quais se casaram,​ e que ama os seus genros, “a quem Deus escolheu para serem perfeitamente compatíveis com o temperamento e com a personalidade de cada uma delas”.
A experiência de Lee o leva a acrescentar, porém, que muitas moças cristãs que querem se casar não conseguem achar o homem certo nem mesmo nos ambientes cristãos. “Elas se perguntam se ainda existe algum rapaz cristão decente em algum canto. E, às vezes, também se questionam se não poderiam ser menos exigentes para encontrar um marido”.
Lee responde com seu conselho fundamental: “Não aceitem nada abaixo do que Deus lhes pede! É melhor ficar sozinhas do que se casar com o homem errado”.

E, a seguir, ele lista “10 tipos errados de homem que você tem que evitar ao procurar um marido”.
1. O não crente

“Copie num post-it e cole-o do lado do seu computador: ‘Não se sujeitem ao jugo dos infiéis. Que relação pode haver entre a justiça e a iniquidade, ou que comunhão pode haver entre a luz e as trevas?’ (2 Coríntios 6,14). Esta não é uma norma religiosa ultrapassada. É a Palavra de Deus para você hoje”.
Lee é muito exigente: para ele, não é suficiente que o candidato se ofereça para acompanhar a moça à igreja. “Se o homem não é um cristão renascido, elimine-o da sua lista. Não é bom para você. Ainda não encontrei uma única mulher cristã que não tenha se arrependido de se casar com um homem não crente”.

2. O mentiroso
“Se você descobrir que o seu namorado mentiu para você sobre o passado dele, ou que ele está sempre apagando vestígios para esconder algum segredo, corra para a saída mais próxima. O casamento tem que ser construído sobre a rocha da confiança”.

3. O playboy
“Eu gostaria muito de dizer que, se você encontrar um rapaz na igreja, é sinal de que ele vive a pureza sexual. Mas não é bem assim. Conheço histórias de rapazes que lideram o grupo de louvor no domingo, mas, no resto da semana, são iguais a Casanova ou Don Juan. Se você se casar com um homem que, antes do casamento, pulava de cama em cama, esteja certa de que depois do casamento ele vai continuar igual”.

4. O homem que não se importa com a família anterior
J. Lee afirma que “há muitos cristãos que já viveram um casamento fracassado. Depois do divórcio, eles experimentaram a renovação no Espírito Santo e agora querem se casar de novo. E este novo casamento pode ser muito feliz”.
(Do ponto de vista católico, isto se aplica aos viúvos, aos homens que viveram uniões civis não sacramentais e àqueles cuja união matrimonial foi reconhecida pela Igreja como nula. Os católicos, diferentemente dos protestantes, não admitem que uma pessoa possa voltar a se casar perante Deus se ela já está unida a outro cônjuge em um vínculo matrimonial sacramental que Cristo decretou como indissolúvel).
Em caso de novo casamento, os cuidados a tomar dizem respeito ao modo como esse homem trata a sua família anterior, os filhos que ele teve com outras mulheres. “Se você descobriu que ele não cuida dos filhos que teve em relacionamentos anteriores, você descobriu um defeito gravíssimo. Um homem que não assume nem sustenta os filhos que teve no passado não vai tratar você de forma responsável”, afirma o autor do artigo.

5. O alcoólatra ou dependente químico
“Os homens que vão à igreja, mas são viciados em drogas ou em álcool, provavelmente aprenderam a esconder dos outros os seus problemas. Mas você não pode esperar até a lua-de-mel para descobrir que ele tem esse tipo de vício. Jamais se case com um homem que se recusa a receber ajuda contra o vício. Insista na necessidade de ajuda profissional e se afaste dele. Não caia numa relação de codependência, daquelas em que ele diz que precisa de você para ficar sóbrio. Se ele não quer mudar, não é você quem vai conseguir mudá-lo”.

6. O vagabundo
Uma amiga de Lee descobriu, depois de se casar, que o marido não tinha vontade alguma de encontrar um emprego sério. Seu “plano de vida” era ficar em casa jogando videogame enquanto a esposa trabalhava e pagava as contas. Um homem que não está disposto a trabalhar não merece uma esposa cristã. Lee recorda o texto de 2 Tessalonicenses 3,10: “Quem não trabalha, que não coma”.

7. O narcisista
“Eu espero, sinceramente, que você consiga encontrar um marido belo. Mas cuidado: se o seu namorado passa 6 horas por dia na academia e publica fotos dos seus bíceps o tempo todo no Facebook, você está diante de um problema”.
“Ele pode ser ‘bonito’, mas um homem tão focado na própria aparência e nas próprias necessidades não vai amar você até o nível do sacrifício pessoal, como Cristo ama a Igreja (cf. Efésios 5,25). O homem que está sempre olhando para o espelho não vai olhar direito para você”.

8. O violento
“Os homens com tendências violentas não conseguem controlar a raiva que ferve dentro deles. Se o seu namorado é propenso a levantar a mão contra você ou contra outras pessoas, não se sinta tentada a civilizá-lo. Ele tem um problema muito sério. Se você se casar com ele, prepare-se para viver pisando num campo minado e tentando evitar explosões. Os homens violentos machucam as mulheres verbalmente e, com frequência, também fisicamente. Procure um homem gentil”.

9. O infantil
Lee faz uma advertência contra “os homens que, aos 35 anos de idade, ainda dependem do sustento dos pais. Se a mãe ainda faz a comida e lava e passa as roupas dele, significa que ele está preso a um círculo vicioso emocional. Se você acha que pode ser a mulher de um rapaz que não cresceu, você está procurando problemas. Dê marcha a ré e, como simples amiga, incentive-o a procurar ajuda psicológica para amadurecer”.
(Lee é norte-americano. Não sabemos se ele diria o mesmo se vivesse em algum país cuja situação econômica é mais instável ou passa por crise profunda. Na Espanha, por exemplo, 56% dos adultos entre 30 e 34 anos estão desempregados e muitos voltaram a viver com os pais por razões econômicas. Apesar desta circunstância pontual, eles podem ser homens perfeitamente maduros e estar em busca de solução para as atuais dificuldades. Esse tipo de caso pode ser frequente também no Brasil, em Portugal e nos outros países de língua portuguesa. Portanto, faça um discernimento justo de cada caso).

10. O maníaco controlador
“Há homens cristãos que citam as escrituras e parecem muito espirituais, mas, por trás da fachada de autoridade marital, escondem uma profunda insegurança e um orgulho que pode se transformar em abuso. A passagem bíblica de 1 Pedro 3,7 pede que os maridos tratem suas esposas como iguais (Maridos, tratai as vossas esposas com respeito, porque o seu corpo é mais frágil, e honrai-as por participarem convosco da graça da vida: assim não serão prejudicadas as vossas orações)”.
“Se o seu namorado trata você com menosprezo, faz comentários ofensivos contra as mulheres e minimiza os seus dons espirituais, afaste-se dele o quanto antes. As mulheres que se casam com maníacos controladores religiosos costumam acabar imersas em um pesadelo de depressão”.

Conclusão
O artigo de Lee termina com um conselho: “Se você é uma mulher de Deus, não renuncie aos seus direitos de primogenitura espiritual casando-se com quem não a merece. A decisão mais inteligente é esperar por um homem realmente dedicado a Jesus”.
Para nós, fica o tema de debate: esta “classificação” e estas recomendações feitas às cristãs protestantes norte-americanas podem se aplicar também aos âmbitos católicos de outros países?
E para os homens católicos: aplicam-se os mesmos parâmetros para a sua busca de boas mulheres católicas?

Fonte:Aleteia