6 lições (de doer) que aprendi sobre o amor.


1. SOBRE TÉRMINOS E GENTE QUE NÃO SOMA.

Se tem algo necessário que comecei a aprender e levar pra vida, foi desapegar do que não soma e superar términos. Costumo me envolver demais porque não consigo só conhecer.  Eu já conheci gente e não me agradei. Se agradaram de mim, mas não fiquei. Esperei demais, foram de menos. Me disseram que eu não era o que esperavam que eu fosse. Tentaram jogar pra mim uma culpa que não era minha, tentaram justificar os erros que cometiam com as minhas atitudes e esses erros se repetiam, decepções se acumulavam. Melhor não esperar o outro te fazer bem enquanto você não está bem consigo mesmo, o melhor é ficar bem com você mesmo e ficar só com quem realmente se sente bem quando está com você.  Passei por ótimas situações, sorrisos bem agradáveis, a saúde em dia e a saudade despertando na madrugada. Encontros bem sucedidos mesmo que o restaurante tenha sido péssimo. Conversas coerentes e só. Mas só isso sempre foi o suficiente pra que eu acreditasse que era pra ser, ou ao menos esperar que fosse.  Pra mim, sempre foi complicado aceitar um término. Aceitei vários depois que aprendi a respeitar as escolhas e os momentos dos outros. Isso não é questão de esforço, a gente precisa se esforçar por um relacionamento maduro, livre, e agridoce, não por alguém infantil, possessivo e amargo. Concordo que quando a gente ama, a gente precisa tentar e reconhecer o outro como um ser errante mais que pensante, mas simplesmente não dá pra se tornar saudade de alguém que nunca aparece. Se decidiu ir, boa sorte. Não estou aqui pra mudar só pra agradar alguém, estou aqui pra ser eu mesmo e agradar pelo que sou, não pelo que acham ou pelo que esperam de mim. Erro feito humano que sou, mas não tolero gente que não soma. 

2. SOBRE DECEPÇÕES

Desperdicei alguns dias e aprendi que não vale a pena sofrer em vão. Aproveitei o que não tinha aproveitado. Comprei mais do que podia, mas paguei. Me envolvi, mas não decepcionei. Me decepcionaram, mas superei. E aprendi que superar te trás novas formas e muda a tua visão pra enfrentar novos problemas, cê passa a meter o pé sem medo, a encarar a coisa e dar o outro lado do rosto.

3. VOLTAR OU NÃO VOLTAR COM O EX?

Tentei empurrar um relacionamento que já se afundava pra tomar um fôlego, resolver pendências e mais uma vez, tentar acertar os erros. Depois do fôlego, testei voltar. Troquei a possibilidade de deixar passar pra carregar mais uma vez o que não existia, até entender que não precisava continuar tentando tapar certos buracos, até entender que amar não é necessariamente permanecer, é desistir também. Às vezes, é bem melhor você deixar que o tempo realize o processo de cura, que voltar ao motivo da dor pra tentar curá-la com apego. Se tem um conselho que posso dizer sobre isso, é que não é uma boa escolha voltar com ex. Não é interessante reatar um relacionamento só porque você acredita que amar já basta e acha que será impossível encontrar outra pessoa que possa te amar tanto quanto você amou alguém, ou tanto quanto alguém te fez acreditar que te amava. Não importa o que o você pensa que o teu coração te diz sobre. Acreditar que aquele estalo é a voz do teu coração é um erro. Aquele estalo igual eco que retorna pra você é um aviso de que você está sozinho nisso. 

4. ENCONTRAR ALGUÉM PRA SOMAR OU COMPLETAR?

Amei de verdade, mas tive que deixar esse amor partir porque entendi que se não soma, melhor sumir. Desapeguei do que não conseguia e entendi que mesmo que a gente ame alguém é preciso abrir mão se não existem mais motivos pra ficar. Encontrei mais alguns sinônimos pro amor. Doar, compartilhar, somar e não completar. Comecei a discordar daquela frase que me disseram um dia: ”você precisa encontrar a metade da sua laranja”, saquei que não se trata de encontrar a metade pra se sentir completo porque eu nunca estive pela metade – apesar de se sentir assim em alguns casos – mas o importante mesmo é se sentir livre e entender que não existem metades perdidas por aí. Eu preciso mesmo é de alguém que some e ponto.

5. SEGREDOS

Fui apunhalado pelas costas, tive segredos contados e aprendi mais um pouquinho que existem segredos só meus e pensamentos que posso compartilhar. Que existem pessoas preparadas para ouvir e guardar o que eu digo mesmo que a gente se desentenda depois e pessoas que não estão preparadas para ouvir, muito menos guardar.

6. QUEM AMA, TAMBÉM DESISTE!

Por mais patético que seja admitir isso, passei muito tempo acreditando de verdade que, quem ama, jamais desiste! E escancarei bastante meu peito já tão surrado. Passei por poucas e boas. Tive meus sentimentos ignorados, fui escanteado. Levei gritos, gritei. Fui trocado, pensei em vingança, mas me ajuizei. Fui orgulhoso, foram egoístas comigo. Perdeu-se o respeito, o carinho e o afeto. Tive que perder bastante tempo e muito de mim pra entender que o amor não é um jogo. Se a gente não se dispõe em aceitar, respeitar, dedicar a nossa vida em troca da dedicação do outro, não adianta. Mesmo que com bastante dor, finalmente entendi com certa maturidade todos os porquês da desistência. E se esse ano não for suficiente pra você entender isso, espero que um dia você também entenda que quem ama desiste, quando se doar totalmente, quando amar descontroladamente alguém e esse alguém só te fizer sofrer. Um dia, você vai chorar e saber que por mais que você ame alguém, é preciso que o outro te ame e te queira bem também.