Papa Francisco: 10 mandamentos para ser feliz

Em uma a entrevista a Pablo Calvo para a Revista Viva da Argentina, Papa Francisco dá dicas para a felicidade em forma de 10 mandamentos.

“Aqui estão dez ingredientes para a fórmula que parece ser inalcançável, mas Francisco indica” diz Paul Calvo.

  1. Vive e deixa viver: Aqui, os romanos têm um ditado, e poderíamos tomá-lo como exemplo para usar nesta fórmula que eu disse: ‘Vá em frente e deixa que as pessoas caminhem à frente também’. “Vive e deixa viver, este é o primeiro passo para a paz e felicidade.”

  1. Doe-se aos demais: Se alguém se isola, corre o risco de ser egoísta. “E água parada é a primeira que e corrompe (se suja)”.

  1. Mova-se remansadamente: “Em Don Segundo Sombra há uma coisa muito linda, sobre alguém que revê sua vida. O protagonista diz que quando era jovem era um córrego pedregoso que carregava tudo adiante; e quando adulto era um rio que andava adiante e ao invés disso sentia seu movimento, mas lentamente remansado. Eu utilizo esta imagem do poeta e novelista Ricardo Güiraldes, este último adjetivo, remansado. A capacidade de se mover com benevolência e humildade, o remanso da vida. Os anciãos têm esta sabedoria, são a memória de um povo. E um povo que não cuida de seus anciãos não tem futuro”.

  1. Brincar com as crianças: “O consumismo nos levou a esta ansiedade de perder a sã cultura do ócio, ler, desfrutar a arte. Agora confesso pouco, mas em Buenos Aires confessava muito e quando via uma mãe jovem lhe perguntava: Quantos anos têm? Brinca com seus filhos? Era uma pergunta inesperada, mas eu lhe dizia que brincar com as crianças é a chave, é uma cultura sã. É difícil, os pais saem cedo para trabalhar e quando voltam seus filhos já estão dormindo, é difícil, mas é necessário fazer isto”.

  1. Compartilhar os domingos com a família: “Outro dia, em Campobasso, fui a uma reunião entre o mundo universitário e o mundo trabalhador, todos reclamavam que o domingo não é para o trabalho. Domingo é para a família.”

  1. Ajudar os jovens a conseguir emprego: Precisam ser criativos com este setor. Se faltarem oportunidades, caem nas drogas. E está muito alto o índice de suicídios entre os jovens sem trabalho. Outro dia li, mas não tenho muita certeza por não ser um dado estatisticamente comprovado, que havia 75 milhões de jovens de 25 anos para baixo, desempregados. Não resolve somente dar-lhes o que comer: É necessário criar cursos e inseri-los no mercado. “A dignidade se dá em levar o pão para casa.”

  1. Cuidar da natureza: “É preciso cuidar da criação e não estamos fazendo isto. É um dos maiores desafios que temos”.

  1. Esquecer-se rápido das coisas ruins: A necessidade de falar mal do outro indica uma baixa alto estima, é dizer: eu me sinto tão abaixo que ao invés de crescer, diminuo o outro. “Esquecer-se rápido do mal é são”.

  1. Respeitar o que pensa diferente: “Podemos mover o coração do outro com o testemunho, para que ambos progridam com a comunicação, mas o pior que pode acontecer é o proselitismo religioso (tentativa de convencer alguém a se converter às suas idéias ou crença), que paralisa: ‘Eu converso com você para te convencer’, não. Cada um dialogue com sua identidade. A igreja cresce por atração, não por proselitismo”.

  1. Buscar ativamente a paz: Estamos vivendo em uma época de muitas guerras. Na África parecem ser guerras tribais, mas são mais que isso. A guerra destrói. É necessário clamar pela paz. A paz às vezes dá a ideia de quietude, mas nunca é quietude, sempre é uma paz ativa.

Adaptado e traduzido de Zenit