Venha! Antes que eu me vá.




Tudo bem que todo relacionamento tem brigas, recaídas, ciúmes, desentendimentos e tal. Não me culpo e também não quero culpá-lo por tudo que vem acontecendo nesses últimos dias. Eu sou brava, porque quero tudo do meu jeito. Ele também é assim, porém, não aceita nada do que eu falo. Ele quer ser o dono da razão, o ''sabidão'' mas faz tudo errado. 

Eu já tento por as coisas na linha mas ele vem e entorta tudo de novo. Realmente chegou a nossa hora e o nosso fim. Não dava pra eu ficar empurrando com a barriga e nem vendo ele se esforçar para fazer algo que não quer. Nossas brigas eram pesadas e acabou fazendo com que eu desgostasse literalmente do que já fomos um dia. Tudo bem que brigas acabam fortalecendo a relação, mas quando acaba virando rotina, não tem quem aguente. E foi isso que aconteceu. Virou rotina e tudo era motivo de brigas. Tudo tinha um bocado de ciúmes. Tudo tava envolvendo cobrança e no fim acabava sempre pelo lado ruim. 


Cada um para o seu lado fazendo com que o orgulho tomasse conta. Eu sou orgulhosa, eu sei. Mas ele é até demais. Eu sinto saudade, claro. Mas não tem como eu viver correndo atrás de algo que pra - ELE - ''tanto faz''. Eu juro, amiga, fiz a minha parte. E até hoje eu faço. Só que eu cansei, sabe. Não desisti, só não vou ficar insistindo mais. Ele sabe meu número e pode me ligar quando quiser. Ele sabe onde eu moro e pode vir quando querer. Se tá de ''orgulhinho'' bobo, quem tá perdendo é ele. 

Eu vou ficar na minha, sério. E se quiser, ele que me procure. Se ele aparecer pedindo desculpas, vou aceitar numa boa. Se ele quiser conversar, vou recepcionar com todo amor. Mas agora irei cuidar de mim, e vou ficar na minha sem me rastejar nos pés de ninguém. Chega de bancar a palhaça dentro desse circo infeliz! Se ele vir, que bom. Se não vir, amém.