Muitas pessoas, nos dias de hoje, desejam assumir um compromisso de namoro, mas não é tão fácil conseguir um par, porque até mesmo no meio católico, entre pessoas que seguem uma vivência de conversão, existem ideias mundanas a respeito da afetividade, que privilegiam o egoísmo e a falta de compromisso. As pessoas se permitem ir “ficando”, estar com o outro só para preencher suas próprias carências, se ocupam antes com seus desejos imediatos sem primeiro conhecer a fundo a pessoa e o coração do outro. Muitos até julgam que a vida a dois lhes trará limitações pelas quais não estão dispostos a passar. E isso acontece também com nossos jovens inseridos em pastorais ou dentro de grupos de oração.
Por isso, quero dar uma palavra de incentivo a você que não está namorando, mas que busca uma pessoa de Deus para amar e ser amado(a). Respire fundo e não deixe a desesperança invadir seu coração! Deus o está amparando. Se Ele o fez para um casamento, Ele tem alguém para você! Não é hora de você ficar “pra baixo”, e sim, de pensar, de sua parte, o que pode estar acontecendo que ainda não encaminhou alguém rumo ao seu coração e vice-versa. Então, quero ajudá-lo levantando perguntas e dicas que você pode responder para si mesmo, ajudando numa revisão de vida e vocação. – Você está realmente decidido a namorar sério? Ou ainda se deixa levar por um ‘ficar aqui, ficar ali’ para resolver a carência de momento? Saiba que, ao agir dessa forma, você será visto como alguém que não gosta de compromisso.
– Está procurando no lugar certo? Ou melhor dizendo, com relação às amizades e pessoas que passam por você, você se atenta ao coração delas ou a estereótipos externos? Baladas geralmente não são ambientes em que encontramos pessoas que querem compromisso. Isso não significa que você só encontrará uma boa pessoa na igreja e no grupo de oração, mas olhe com carinho para as pessoas em seu ambiente de trabalho, na faculdade, no clube. Seja atento às pessoas e ao que elas portam.
– Antes de ir buscar um(a) namorado(a), prefira amizades. Delas é que nascerão sentimentos alicerçados no conhecimento do coração do outro, na essência da pessoa.

– Invista em você! Quando falamos em investimento na pessoa, a primeira ideia que nos vem à cabeça é academia e banho de loja. Mas, me refiro à alegria de vida e conteúdo. Uma pessoa que transborda felicidade, dentro dos padrões da sociabilidade, é agradável em qualquer ocasião. Tenha conteúdo, preencha-se de coisas que fazem bem. Essas atitudes devem estar de acordo com a sua identidade, não precisa vestir um personagem nem cometer excessos. Se você é tímido, pode continuar sendo do seu jeito, apenas dê um passo a mais em direção às outras pessoas. A partir daí, se quiser cuidar da sua saúde e se vestir um pouco melhor também pode.

– Qual o seu foco? Será que você não está muito dentro do trabalho ou do seu hobby? Imagine o rapaz que só fala em planilhas, números e processos de produção com as moças! Ou a menina que se aproxima do cara e especifica os passos aprendidos no balé!
– E por último, será que você não tem uma visão distorcida de si? Talvez para mais do que se é, ou em se menosprezar. Muita gente acha que é elegante e não o é; acha que é superinteressante, mas acaba sendo chata; pensa que é convicta em alguns assuntos, mas, na verdade, é teimosa. Outros tendem a se recolher dentro da sua ostra e esquecem que são pérolas. Pergunte a um amigo seu, mas aquele amigo em que você confia verdadeiramente: “O que você acha verdadeiramente de mim?” Em todos os aspectos. E tenha o propósito de correr atrás do que precisa.
É claro que só estes pontos não são a totalidade do que envolve o problema de não arrumar um(a) namorado(a), mas são um bom começo. Se você está de bem com todas essas dicas, penso que você está no caminho certo, então, será questão de tempo para começar a namorar.
A esperança é o que impulsiona o ser humano. Esperança é o movimento da alma que acredita que a graça de Deus já foi alcançada, embora ainda não a veja. Por isso, se prepara, com alegria, para o que o Senhor tem de melhor. Prepare-se! Seja melhor para Deus, para si mesmo, então assim você será também para ele(a).
O tempo de Deus não é medido em horas, dias, mas em estarmos prontos, amadurecidos e responsáveis para com a bênção que Ele tem para nós.
 Deus o abençoe!

Texto de: Sandro Ap. Arquejada
 
Missionário da Comunidade Canção Nova. Formado em administração de empresas pela Faculdade Salesiana de Lins (SP). Atualmente trabalha no setor de Novas Tecnologias da TV Canção Nova. É autor do livro “Maria, humana como nós” e “As cinco fases do namoro”. Também é colunista do Portal Canção Nova, além de escrever para algumas mídias seculares.