PERMITA-SE SENTIR A DOR, MAS NÃO FIQUE PRESA NELA PRA SEMPRE

Resultado de imagem para mulher andando de bicicleta tumblr

Depois de bater várias vezes a cabeça na parede imaginaria da vida a ponto de chegar a sentir que realmente havia quebrado o nariz, eu estava em casa. Exausto, ignorei mais uma vez todas as dores físicas e psicológicas que estava carregando. Minha vida tinha se tornado um verdadeiro foda-se. 

A cabeça latejava. O corpo doía (mesmo sem ter praticado alguma atividade física). Ah, e o coração, o coração apertava. 

Sabe, já fui ao médico algumas vezes esse mês. "O coração não dói João, é só a sua ansiedade e nervosismo". Será que dá para tratar esses dois fatores com um só? Enfim, apenas concordei e fui embora. Porque é isso que fazemos. Concordamos como quem diz "os médicos sabem o que estão falando", pelo menos até algo pior acontecer. Aí depois a gente crítica. 

Cogitei ir até a uma farmácia comprar um remédio para a minha incessante dor de cabeça. No fim dei meia volta e resolvi beber algumas cervejas que restavam na minha geladeira. O que só ia me levar a ter mais dor de cabeça. Liguei o foda-se mais uma vez. 

Joguei-me na cama e fechei os olhos. Diferente deles, abri a ferida depois de tirar todo aquele "eu estou bem" que servia como terra para esconder como eu me sentia há meses. 

Deixei doer, deixei arder, deixei queimar. 

A música já estava selecionada. Era Iris, do Goo Goo Dolls. Enquanto ia deixando a ferida expor, eu ouvia o verso "Você sangra para sentir que está vivo". Aquele refrão nunca havia feito tanto sentido. 

Continuei cavando, relembrando todos aqueles momentos que serviram como escape para todos os problemas que resolvi simplesmente ignorar. Percebi o quanto ela estava no fundo, mas continuava incomodando. Também percebi que ignorar o que está machucando não vai fazer com que ele simplesmente desapareça. Infelizmente não é assim que as coisas funcionam. 

Eu não tinha tempo para tocar naqueles problemas mal resolvidos, então era terra em cima de terra. Até você achar que está bem de verdade, que solucionou tudo. Quando na verdade não está. 

E isso volta à tona, um dia volta. Deixei sangrar mais um pouco. Deixei até todo o sangue escorrer e me sentir livre. Deixei até não precisar tapar. Até se tornar uma cicatriz. 

Deixe-a ir e me permiti continuar.